Home/ Editorias/ Empreendedorismo/ A febre das redes sociais atinge personalidades pblicas 13

A febre das redes sociais atinge personalidades pblicas

Regina Ramalho4

No artigo desta semana a gestora de comunicação Regina Ramalho, comenta casos de personalidades pblicas de universos diferentes que estão tendo suas imagens arranhadas em razão do mau uso das redes sociais.

Publicado: 04/08/15
Foto: Edi Sousa e Nalva Lima - Studio Artes
Colunista: Regina Ramalho, fundadora do Notcia Pr Trabalho, jornalista, jurista, cerimonialista e gestora especializada em comunicação, estratgica e construção de imagens. Consultora comportamental, facilitadora organizacional e VP (Vendedora Profissional), ttulo mais recente, mas do qual muito me orgulho, pois ajudou a manter Notcia Pr Trabalho no ar.

J estava prevista uma pauta especial sobre a febre das redes scias, mas uma conversa em um dos grupos do WhastsApp que participo inspirou a antecipação da produção deste artigo.

No grupo um dos colegas de assessoria de imprensa, desabafa a dificuldade de fazer seu assessorado entender que ele uma personalidade pblica e que, portanto, publicar coisas em suas redes sociais sem um suporte ou em momento oportuno pode ser não s um desrespeito ao profissional contratado para zelar por sua imagem, mas tambm as pessoas ou aos acontecimentos do local onde o assessorado est no momento da publicação.

Para ressaltar o desabafo o colega publicou uma foto de um evento no qual três dos componentes de uma mesa diretora, formada de frente para as pessoas que assistiam e fotografavam o evento, mexiam em seus celulares, enquanto, outro, componente falava a plateia.

Algumas pessoas at conseguem prestar atenção ou fazer mais de uma coisa ao mesmo tempo. Mas para quem vê a foto ou assiste a cena parece puro descaso com quem fala e com a importância da solenidade.

A chamada “Febre das redes sociais” causa muitas outras sequelas s pessoas pblicas. Entre os riscos est o da comunicação ficar incompleta. Uma comunicação mesmo sendo curta (como no caso do Twitter, por exemplo, que limita a 140 caracteres) deve ter começo meio e fim. Outros posts saem com erros graves de português, ou ainda pior, sem confirmação de fonte e contedos desconectados, que quebram a importância da comunicação.

Para explicar os riscos deste ltimo item vou citar um case recente que ocorreu durante a ltima campanha eleitoral. Enquanto a equipe principal fazia uma comunicação alinhada com a proposta aprovada pelo candidato, o mesmo publicava post inocentes ou compartilhava propaganda de lojas, produtos e serviços de seus amigos, desviando o foco de sua prpria candidatura.

Aqui tambm vale a recomendação dos cuidados, com a escolha apurada, do profissional que vai auxiliar na administração de sua pgina, zelando por sua imagem e boa comunicação.

No mesmo caso tratado na questão acima, vrias pessoas tinham a senha do perfil do candidato. Enquanto um publicava, outra ocultava, outra assinava como: assessora fulana de tal... os textos no perfil do candidato. A lista de falhas cometidas no case em questão foram enormes...

Apesar dos autos e baixos, a grande popularidade do candidato e seu histrico poltico, alm da retomada de direção da equipe principal, fizeram com que ele ganhasse a campanha. Mas pode ter certeza que a sua rede social não foi a alavanca de sua campanha. Muito pelo contrario, por pouco, muito pouco não foi um cenrio de uma guerra sanguinolenta entre assessores e tambm detonador da campanha.

Espero ter podido ajuda-los. At a prxima semana!

Outras informações- www.anigercomunicacao.com.br