Home/ Editorias/ Empreendedorismo/ Somos o que acreditamos ser 55

Somos o que acreditamos ser

Na coluna desta semana o professor Wanderley Rodrigues Junior, questiona: Você esta usando plenamente a sua capacidade de realizar? Equilibre-se, pondere e acredite em sua capacidade e potencial, recomenda o colunista. 
 
Wanderley 2016Publicado: 14-05-15
Colunista: Wanderley Rodrigues Junior, bacharel em Letras, tradutor e intrprete, coordenou a Academia de Micro-finanças do Banco São Paulo Confia, realizou cerca de 27 mil capacitações em empreendedorismo, micro-finanças e marketing pessoal. Atualmente ministra palestras sobre empreendedorismo, marketing Pessoal e lngua portuguesa para concursos pblicos.
Foto: Edi Souza e Nalva Lima
 
Todos ns temos, em maior ou menor escala, potencial para alguma atividade qual nos prontificamos a realizar. O que definir a sua objetivação final com êxito exatamente o quanto você acredita em ser capaz de realiz-la.
 
O pensamento e sempre ser uma arma muito poderosa para que as definições pr-concebidas por ns e de ns mesmos se concretizem ou não, se nos serão motivadoras ou não.
 
J pôde perceber quando, em algum dia pela manhã ao acordar, o primeiro pensamento foi de preguiça ou de desânimo, o dia pareceu se estender por mais algumas horas alm das 24? Que a hora de sada do serviço se distanciava cada vez que os ponteiros do relgio chegavam hora de finalização do expediente? “D meia-noite, mas 18h nunca chega” a frase mais ouvida (ou pensada) nestas horas de infinda aflição.
 
Entretanto, por outro lado, quando o indivduo j acorda com as baterias recarregadas em 100%, cheio de energia e vibrante, pulando da cama sem pestanejar ao ouvir o primeiro “tiririm” do despertador, tenha a certeza de que este dia ter menos que 24 horas para tudo o que se pretendia realizar.
 
Mas tambm h aqueles dias neutros em que o indivduo levanta-se apenas com o pensamento focado em um dia harmonioso e produtivo e segue em frente com determinação e perseverança, minuciando-se em cuidados especficos nas realizações  de suas tarefas para que o produto final saia com a qualidade esperada.
 
Contrrio queles que seguem aos seus trabalhos com a cabeça fervilhando preocupações particulares e at mesmo de outras pessoas, ou seja, consegue acolher e agregar problemas alheios aos seus como se lhes o fossem de sua responsabilidade tambm. Mas, infelizmente, não consegue administrar ou dirimir sequer os seus prprios.
 
Em qualquer que seja a sua posição nessas situações, equilibre-se, pondere e acredite em sua capacidade e potencial, mas sempre dentro de suas limitações, acolhendo apenas aquilo que for de sua inteira responsabilidade para que depois as possa assumir com humildade e reconhecimento pelo menos da tentativa de ter feito o seu melhor.
 
Uma falha, um erro, uma bronca, nada dever ser o suficiente para que o desmotive em sua continuidade profissional, afinal de contas, a um resultado menos satisfatrio foi consequência de uma tentativa realizada. Para cada tentativa assumem-se os erros para que se aprenda com os mesmos e reavalie o seu posicionamento diante deles.
“Eu posso, eu consigo” deve ser o pensamento motriz em seu dia-a-dia. A perseverança com otimismo quebra qualquer barreira e sobrepõe-se a obstculos antes vistos como insuperveis.
 
A superação est dentro de você mesmo. Não fique esperando de outras pessoas palavras nem gestos de incentivo. Mesmo porque algumas delas, infelizmente possuidoras de espritos diminutos, sentem-se incomodadas com o seu progresso e almejam ver a sua derrota, pois nutrem-se disso ao invs de elas prprias tambm procurarem os seus caminhos evolutivos pessoais e profissionais. Depois ouvimos dessas mesmas pessoas que elas não conseguem nada na vida, que nada d certo...
 
Por que ser, não mesmo?
Então, analisemos: para que nutrir cargas de negatividade e desmotivação e continuar na estagnação e no retrocesso produtivo se você pode virar o jogo com a cabeça erguida para as novas fronteiras de seu aperfeiçoamento e olhos para o horizonte de seu sucesso pessoal e profissional?