Home/ Noticias/ Compartilhar de A Sociedade em Rede

A Sociedade em Rede

Regina Ramalho, professora, jurista, jornalista, apresentadora, radialista, cerimonialista e gestora especializada em comunicação estratégica e construção de imagens. CEO e proprietária do Pró Trabalhador Agência de Notícias. A única empresa no país especiA Sociedade em Rede

O que muitos usuários de redes querem dizer, mas poucos têm coragem de falar: Meu WhatsApp não é lata de lixo!

Publicado: 22/11/16
Foto: Edi Sousa e Nalva Lima - Studio Artes
Colunista: Regina Ramalho, fundadora do Notícia Pró Trabalho, jornalista, jurista, cerimonialista e gestora especializada em comunicação, estratégica e construção de imagens. Consultora comportamental, facilitadora organizacional e VP (Vendedora Profissional), título mais recente, mas do qual muito me orgulho, pois ajudou a manter Notícia Pró Trabalho no ar.

Em plena era da informação a “Sociedade em Rede”, ligada 24h, pode ser uma coisa maravilhosa, mas tem muita gente ‘perdendo a noção’ e fazendo o uso no mínimo “errado” da tecnologia e da globalização do conhecimento.

Convido a você a estudarmos juntos o fenômeno do whatsapp. A valiosa ferramenta vem contribuindo para diminuir os custos com ligações, aproximar pessoas, organizar discussões, fazer negócios, compartilhar conhecimento, oferecer produtos e serviços...

Um erro muito comum é alguém nos inserir em grupo, sem que nos tenha perguntado se existe ou não um interesse em participar, sem que antes tenhamos sido comunicados previamente sobre a intenção do criador em contar com a nossa participação.

Outras pessoas acreditam que devem enviar: Bom Dia! Cheios de corações e flores todos os dias, sem que o receptor da mensagem fique extremamente irritado.

Outras ainda confundem a ferramenta (com o que já é usual no Facebook) e saem transmitindo para a toda a sua lista de contatos. Informações (diárias) sobre onde estão, o que estão fazendo e tudo ainda vem acompanhado de uma enxurrada de fotos, vídeos e outras informações sem o menor sentido para os receptores.

Pra exemplificar os transtornos causados. Vamos pegar como exemplo: um whatsapp de um produtor de jornalismos ou jornalista (mas podia ser de qualquer outro profissional).
Os profissionais citados em razão da atividade chegam a receber mais de 2 mil mensagens por dia. As comunicações indevidas causam gasto de dados, sobre carga nas memórias e principalmente cansa os seus usuários.

Se você deseja que suas mensagens efetivamente sejam: vistas, lidas e aproveitadas. O melhor caminho e usar o whatsapp de forma mais planejada.

Avalie quem da sua lista de contatos pode efetivamente ter interesse em seu conteúdo e só depois use as listas de transmissão.

O mesmo vale para os grupos. Antes de inserir um amigo ou contato. Avise: qual finalidade do grupo, quais serão as regras de participação... E principalmente “não se melindre” se o mesmo preferir não participar ou ainda se retirar caso os propósitos e regras não tenham sido atendidos.

Com um pouco de ‘bom senso’ e dicas simples, sua comunicação, será: melhor aproveitada e a sua existência na “Sociedade em Rede” será sempre muito bem vinda.

Lembrando que para se ter sucesso em: “Rede Social”, (mesmo sendo online), a comunicação requer: pessoalidade, qualidade, veracidade e cordialidade.

Até a próxima coluna!